Afonso Reis Cabral: “Para mim, a Feira do Livro é, desde muito pequeno, um momento de festa e celebração do livro”

Durante mais uma edição da Feira do Livro, o recinto é pisado por inúmeros amantes de literatura, entre leitores, escritores e editores. Este ano, um dos nomes que surgem na lista de autores convidados é o de Afonso Reis Cabral, com quem o 8.ª Colina teve a oportunidade de estar à conversa.

O interesse de Afonso Reis Cabral pela escrita começou cedo, e o prazer em visitar a Feira do Livro também. Aos nove anos, altura em que escreveu os primeiros poemas, já tinha uma forte ligação com a literatura, o que levou a que vivesse as visitas à Feira com um entusiasmo diferente do das restantes crianças da sua idade. “Quando tinha dez anos, era sempre o primeiro a chegar à Feira do Livro”, lembra.

Vendas na 91.ª edição da Feira do Livro de Lisboa | Leonardo Lopes // 8.ª Colina.

Para Afonso, a feira continua hoje em dia a ter uma grande importância. “A Feira do Livro é, desde que sou muito pequeno, um momento de festa e celebração do livro”, afirma o escritor, depois de reconhecer a vantagem que é os leitores terem acesso aos livros que desejam comprar a preços mais acessíveis.

A ocasião permite que haja interação entre editores, escritores e leitores, num espaço onde o interesse pelos livros é celebrado. Afonso Reis Cabral, enquanto escritor, encara este evento como uma boa oportunidade para reunir admiradores do seu trabalho. O autor esclarece ainda que a feira, “mais do que para um autógrafo ou uma assinatura, é um pretexto para uma conversa com leitores, uma troca de impressões. E isso também é muito gratificante”.

“Cheira bem, cheira a Feira do Livro” – Que livro vai Afonso Reis Cabral comprar na 91.ª edição da Feira do Livro de Lisboa?

Indeciso relativamente à escolha de uma obra para sugerir aos leitores do 8.ª Colina, o escritor acaba por optar por um livro que lhe tem despertado interesse e que planeia comprar na Feira: trata-se de DMS 5 Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais, da Associação Psiquiátrica Americana (APA).

Considerado “a bíblia da psiquiatria” por Afonso Reis Cabral, o livro compila uma série de diagnósticos psiquiátricos, realizados tanto em contexto académico, como em prática clínica. O objetivo principal da edição, que já tem tradução em português, é formar um guia que permita classificar perturbações mentais, de forma fiável. Embora seja mais direcionado para os profissionais e investigadores, é um clássico para qualquer leitor que queira aprofundar conhecimento sobre a área.

Reportagem de Joana Margarida Fialho e Marta Carvalho, com edição de Miguel Tomás

Capa por Leonardo Lopes

Revisto por Inês Gomes

Scroll to Top
0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap