Atletismo: 2º Encontro Ibérico em Pista Coberta

Numa tarde, juntam-se os melhores atletas da região de Lisboa com os de quatro províncias espanholas, na pista coberta Gallur.

O clube de cada atleta não foi chamado para a segunda edição do Encontro Ibérico. Os atletas portugueses deslocaram-se até Madrid sob a alçada da Associação de Atletismo de Lisboa (AAL), para competir com a Federação de Atletismo de Madrid, a de Castilha e Leão, a da Extremadura e a de Aragão.

Na fotografia, vemos o atleta português Hugo Cruz, na penúltima prova da competição: estafetas 4x200m. Nesta prova, a Associação de Atletismo de Lisboa conseguiu o bronze, tal como aconteceria na prova feminina.

(Magda Cruz/Oitava Colina)

Este Encontro Ibérico é anual e, segundo a organização da prova, tem como objetivo “fomentar o desenvolvimento atlético e a convivência entre os mais jovens, assim como o conhecimento de outros povos e culturas”.

Na fotografia, assiste-se ao arranque de uma das séries de 60m masculinos. Lisboa estava representada por dois atletas (pista 5 e 7).

(Magda Cruz/Oitava Colina)

Neste encontro só participaram atletas juvenis e juniores, ou seja, jovens com idades entre os 16 e os 19 anos.

Na fotografia, acompanhamos o aquecimento de três atletas lisboetas, que escolhem correr à volta da pista em vez de nos túneis do pavilhão.

(Magda Cruz/Oitava Colina)

Do início ao fim do Encontro, que começou pelas 16h e terminou pouco depois das 20h30, houve provas de salto com vara.

Na foto, vemos um atleta espanhol, que não viria a fazer um salto válido.

(Magda Cruz/Oitava Colina)

Uma das provas a que se deu mais atenção no dia 9 de fevereiro foi a dos 800m. Em pista coberta, por ter apenas 200m, significa 4 voltas de tensão e ansiedade para quem vê e de muito esforço para quem compete.

Na foto, vemos o atleta Hugo Cruz a descansar mal acaba a prova. O atleta da Associação de Atletismo de Lisboa fez 1:58:05 – uma marca muito perto do seu record pessoal em pista coberta.

(Magda Cruz/Oitava Colina)

Outra prova que decorreu do início ao fim do Encontro foi o lançamento do peso. O tamanho do peso depende da idade do atleta e do sexo. Uma alteta sub20 lança um peso de 4kg, enquanto um atleta lança um de 6kg. Já as atletas sub18 competem com um de 3kg e os atletas com um de 5kg.

Na foto, assistimos a um dos seis lançamentos do atleta da Federação de Atletismo de Madrid – limite de tentativas estipulado pela organização.

(Magda Cruz/Oitava Colina)

Cada atleta apenas pode participar em duas provas. Hugo Cruz, atleta português pertencente ao Sport Lisboa e Benfica, cumpriu a regra. Os atletas portugueses fizeram uma viagem de mais de 600km, no dia anterior ao Encontro. Os lisboetas encontraram-se na Pista Moniz Pereira, no Lumiar, às sete da manhã, para viajar mais de seis horas rumo à capital espanhola. Mesmo apesar do cansaço e de um pequeno jet lag, segundo os treinadores da AAL, 19 dos 45 atletas melhoraram as suas marcas, incluindo um novo recorde Nacional em salto em comprimento no escalão iniciados masculinos para Sissinio Ambriz com a marca de 6,89m.

(Magda Cruz/Oitava Colina)

A Pista Coberta do Centro Desportivo Gallur, em Madrid, custou quase 19 milhões de euros à câmara madrilena e tem capacidade para 2900 pessoas. No dia anterior à prova, a pista chegou à sua lotação máxima ao receber o Mundial de Atletismo. Os jovens atletas puderam assistir e dar de caras com Nelson Évora e Patrícia Mamona.

(Magda Cruz/Oitava Colina)

Os rapazes de preto e branco, os lisboetas, arrecadaram o terceiro lugar na prova de estafetas. Cada atleta completou uma volta à pista e passou o testemunho ao colega até ao atleta da frente cruzar a meta. Como estas provas têm um cariz amigável, os representantes de cada um dos cinco grupos a competir receberam um troféu de vidro, que marca a presença na segunda edição do Encontro Ibérico.

(Magda Cruz/Oitava Colina)

Os atletas de Lisboa, treinadores e massagista, 57 na comitiva inteira, vieram de longe e mostraram bem o quão unidos eram. Mesmo não pertencendo às mesmas equipas, no Encontro Ibérico competiam todos pela mesma camisola (preta e branca para os rapazes, rosa para as raparigas). O desporto foi celebrado e recompensado com uma visita pela capital no dia seguinte.

Dia 1 de junho será a vez de Lisboa receber as equipas espanholas “com todo o carinho, amabilidade” com que foram recebidos pela Federação de Atletismo de Madrid.

Gostaste deste artigo? Partilha-o!

Scroll to Top