Atletismo: 3º Encontro Ibérico SUB18

É a 3ª vez que atletas juvenis se deslocam para o Encontro Espanha-Portugal. O caminho foi mais longo para os portugueses, que vieram de todo o continente e ilhas, para decidir em que lado da Península Ibérica ficava a taça, no dia 29 de junho de 2019.

Durante toda a tarde, na pista do Centro Desportivo Municipal Moratalaz, em Madrid, os jovens atletas competiram nas várias disciplinas de atletismo, num ambiente que no fim se provou de grande desportivismo.

Na foto de capa vemos as atletas Angela Viciosa Villa, de Espanhã, e Inês Borba, de Portugal, a disputar a prova de 1500m, em que ficaram em primeiro e segundo lugar, respetivamente, com as marcas de 4:39.61 e 4:41.14. Nesta prova também participaram Silvia Ondiviela Martinez e Beatriz Fernandes.

Todos os dados foram retirados da seguinte lista de resultados da Federação de Atletismo Espanhola.

Comitivas portuguesa e espanhola juntas no pódio da pista de Moratalaz (MAGDA CRUZ/8ªCOLINA)

A comitiva portuguesa contou com quase 100 atletas, treinadores e staff da Federação Portuguesa de Atletismo. A jogar em casa, os espanhóis não eram mais em quantidade, mas provaram ser mais fortes, vencendo com 242 pontos, frente aos 136 angariados pelos verdes e vermelhos. O fair-play entre os jovens foi notório quando cada seleção gritou “Espanha” e “Portugal” enquanto cada uma subia ao pódio para receber as condecorações e para a foto da praxe.

Atleta espanhola faz mais uma tentativa de salto com vara, enquanto atletas portuguesas observam. (MAGDA CRUZ/8ªCOLINA)

As bancadas estavam cheias. A sombra foi chamando cada vez mais público, que apoiava os atletas com gritos e palmas. Por causa do intenso calor, as provas começaram às 19h locais. A prova de abertura foi o salto com vara.  Os 30º C que se faziam sentir viriam a baixar ao longo da tarde. A competição foi encerrada às perto das 23h, quando a noite se tornou amena. Durante todo o dia houve um total de 26 saltos e o mais alto pertenceu à atleta espanhola Jaione Mikeo Lasarte, com a marca de 3m75, que, mesmo assim, não esteve à altura daquilo que é capaz, já que se inscreveu na prova com 3m76. As atletas portuguesas não passaram dos 2m89.

O arranque dos 4 atletas de 400m masculinos, sob o olhar do público (MAGDA CRUZ/8ªCOLINA)

A prova de 400m é das mais adoradas pela velocidade que a define. Os atletas têm “apenas” de dar uma volta à pista. Nesta prova, o vencedor foi o atleta espanhol Gerson Pozo Mexino, na pista 3, com o tempo de 47.60. Os atletas portugueses Ivo Cruz e David Garcia (em destaque na foto) ficaram em terceiro e quarto, respetivamente, fazendo marcas de 50.83 e 50.88 – um record pessoal para Ivo. 

Os atletas de 800m menos de 2 segundos após o tiro de partida. (MAGDA CRUZ/8ªCOLINA)

Os 800m é uma prova emocionante. Muito acontece em duas voltas à pista. Nesta foto, os atletas acabam de partir. Cada um na sua pista, competem dois portugueses e dois espanhóis. Eric Guzman Gonzalez e Gonzalo Soler Valenzuela (segundo e quarto na foto, da esquerda para a direita) acabaram por levar a melhor. Eric vence com a marca de 1 minuto 55 segundos e 99 milésimas. O primeiro português a terminar e a levar o bronze para Portugal foi Ricardo Pedra, com o tempo de 1:58.12. 

Atletas portugueses a ultrapassar o obstáculo e a vala de água sob o olhar dos juízes espanhóis (MAGDA CRUZ/8ªCOLINA)

Na prova de 2000m Obstáculos, o vencedor foi o espanhol Jose Alejandro Salgado Castilla, com o tempo de 6:04.22. A prova implica dar cinco voltas à pista, com um obstáculo a cada 100m. Após três saltos por cima de um obstáculo de 84 centímetros e outro com a passagem por uma vala cheia de água, os portugueses Eduardo Pestana e André Regufe (da esquerda para a direita) ficaram em terceiro e quarto lugar, com as marcas de 6:12.20 e 6:16.93. Nesta prova, Portugal angaria três pontos, enquanto que Espanha soma mais sete. 

Atleta Guilherme Almeida prestes a terminar um dos saltos que lhe daria o ouro no comprimento, enquanto um dos membros do staff (de laranja) espera para alisar a areia de novo (MAGDA CRUZ/8ªCOLINA)

Na disciplina de salto em comprimento, quem saltou mais longe foi Guilherme Almeida (na foto). Guilherme inscreveu-se na prova com 6m97 e melhorou para 7m06, dando quatro pontos à sua seleção. Na segunda posição ficou Carlos Beltran Alvarez, que saltou 6m93.   

As atletas da prova mais curta do atletismo arrancam dos blocos (MAGDA CRUZ/8ªCOLINA)

A partida dos 100m barreiras é feita depois de ouvirem o tiro que vem a seguir à pergunta “Listos?” A primeira a chegar à meta foi a espanhola Carmen Ferrara Garcia (à esquerda) seguida da colega Lucia Alonso Mendoza (pista 4). Maria Santos (pista 5) ficou com o bronze e uma marca de 14.79. Na pista 3, está a portuguesa Ashley Nhunga. O melhor tempo foi de 14 segundos e 17 milésimas. 

A comitiva de Portugal tinha quase uma centena de pessoas e para muitos é a primeira vez com a camisola da seleção (MAGDA CRUZ/8ªCOLINA)

A comitiva portuguesa não se deixou abalar pela derrota (que no fim ao cabo é um segundo lugar) e fez a festa em Madrid. Os atletas regressariam ao hotel para no dia seguinte fazer a viagem de cerca de 9h até ao Jamor, local de onde partiram na sexta-feira de manhã, dia 28 de junho.

A seleção portuguesa de SUB18 também competiu nas provas de lançamento do peso (5kg para os homens e 3kg para as mulheres), disco (1,5kg para masculino e 1kg para feminino), triplo salto, lançamento do dardo (700g masculino e 500kg feminino), e distâncias de 3.000m, 1500m, 800m, 400m barreiras (cada barreira com 0,84cm para atletas masculinos e 0,762 para femininos), 200m, 110m barreiras masculino (cada uma com 0,914cm), 100m barreiras feminino (cada uma com 0,762cm), 100m, 5.000m Marcha, estafetas 4x100m e por fim estafetas 4x400m misto. 

Técnico toma conta da transmissão em direto das provas. Em segundo plano, uma atleta espanhola e outra portuguesa preparam-se para os seus 100m nas estafetas. (MAGDA CRUZ/8ªCOLINA)

Nesta prova de 4x100m femininos, foi quebrado o record de Espanha. As atletas fizeram a festa com a marca de 46 segundos e 73 milésimas. A anterior marca era de 46.96, tida em Valkenswaard, na Holanda a 08/07/1993. As portuguesas terminaram a prova de cabeça erguida e com um tempo de 47.47. O record nesta prova é de 46.89, em Vagos, Aveiro, conseguido a 24/06/2018. Por isso, cinco dias depois de este record fazer um ano, as atletas não ficaram nada longe de festejar.

As provas foram transmitidas na RFEA TV e quase 10 mil pessoas acompanharam a Copa Ibérica. Todo o encontro pode ser revisto aqui:  

Gostaste deste artigo? Partilha-o!

One Comment

Comments are closed.