Com creme e sem creme

Por Inês Ramos, Margarida Teles e Mariana Silveira

Três gerações diferentes que em comum têm a mais apreciada iguaria das praias portuguesas. As bolas de berlim podem comer-se o ano inteiro mas é a praia o seu habitat natural. São, durante o Verão, o principal sustento destes vendedores.

Três relatos bem diferentes de uma realidade que poucos conhecem. Três histórias que apenas partilham um ofício. Caminhos distintos que se cruzam nos areais de Carcavelos.

Quando abertas as malas que carregam, não encontramos só as bolas que tanto fazem as delícias dos banhistas: encontramos histórias de vida. Uma evolução dos tempos.

A venda de bolas de berlim pode ser transversal e nós, como entusiastas destas fresquinhas e docinhas iguarias, não podíamos deixar de as experimentar – e, a título de curiosidade, ficaram aprovadas.

Saiba mais e conheça as histórias aqui.

Gostaste deste artigo? Partilha-o!

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top