Marcelo Rebelo de Sousa: “Para mim, a Feira do Livro é uma espécie de tradição”

No recinto, já se aguardava a habitual visita do Presidente da República. Marcelo Rebelo de Sousa inaugurou a Feira do Livro de Lisboa, como em edições anteriores. No Auditório Sul, juntaram-se Fernando Medina, Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, e representantes da Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL). Atento

91.ª edição da livraria a céu aberto

Entre 26 de agosto e 12 de setembro, o Parque Eduardo VII acolhe a 91.ª edição da Feira do Livro de Lisboa, a segunda maior da história. Este ano, conquista ainda o recorde de maior oferta editorial de sempre, ao receber mais de 700 marcas editoriais. De acordo com Catarina

Fotogaleria: Feira do Livro de Lisboa 2021

O primeiro dia da Feira do Livro de Lisboa contou com a forte adesão do público. Até às 19h de ontem tinham entrado no Parque Eduardo VII mais de 15.000 pessoas para abastecer as prateleiras de casa.   O 8.ª Colina organizou uma fotogaleria do dia de abertura, onde Marcelo Rebelo

Corpos XL: Nas redes sociais contra o preconceito

Ser uma pessoa gorda não tem, necessariamente, de estar associado a uma perspetiva negativa. Andreia, Bruna e Fernanda são três mulheres que, através das redes sociais, pretendem deixar de lado os padrões de beleza impostos pela sociedade. “É possível amarem-se” é a mensagem que cada uma pretende transmitir diariamente. Adotado

Crónica de um bom malandro

Ao ouvir o relato da revolução, conteve-se. Não sabia como iria desencadear-se a situação. Fez apenas o caminho de volta. Deixou o pão e um aviso: naquele dia não voltaria para casa, ficaria de prevenção militar, sem permissão para sair do quartel. A história de José Serrano.

A geração do empreendedorismo

O acesso generalizado ao mundo online motiva uma crescente vaga do espírito empreendedor. As condições de criação de uma marca sofreram grandes alterações: as ferramentas ao dispor de qualquer pessoa no momento de criar um negócio próprio são muito diferentes daquelas que tinham as gerações anteriores. “A barreira de entrada

Bata: “Nós éramos uma espécie de esponjas.”

Cavalete: “Com a água do banho foi embora o bebé.”       “Antes do 25 de abril a palavra política não estava no nosso dicionário.” No Montijo, Maria da Piedade Patinha, aos 16, vê a recuperação da liberdade. Com ela vieram os receios e laivos de novas janelas da

Cavalete: “Com a água do banho foi embora o bebé.”

Cavalete: “Com a água do banho foi embora o bebé.” A revolução do cravos torna as Belas Artes numa fonte de contestação. António Macedo, aos 18, vê a mudança nas artes como o partir da sua paixão. Necessita de procurar por uma nova oportunidade.       A arte em

Aparelhagem: “A mentalidade não acompanhou a revolução.”

Aparelhagem: “A mentalidade não acompanhou a revolução.” O tumulto que se sentiu em Lisboa alastrou-se lentamente pelo país. A informação e os meios de comunicação não eram tão rápidos. No nordeste transmontano, Ermelinda Terceiro sente, aos quinze, os sons a chegar, na década de oitenta, com o retorno dos emigrantes.

Scroll to Top
0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap