Enchente na sexta edição d’O Sol da Caparica

O terceiro dia da 6.ª edição do festival O Sol Da Caparica recebeu a visita de mais de 30 mil pessoas, que esgotaram a capacidade do recinto.

O dia 17 contou com a presença, no palco principal, de Ludmilla, Gabriel O Pensador, Capitão Fausto, Boss AC, Richie Campbell e, ainda, Karetus. O festival recebeu também artistas como Plutónio e Mishlawi, que encheram o palco secundário com uma energia jamais alcançada.

O Sol Da Caparica é um festival inteiramente dedicado à Língua Portuguesa e à Lusofonia, que concilia a música portuguesa com os ritmos africanos e brasileiros. É organizado pela Câmara Municipal de Almada, em parceria com o Grupo Chiado. O Parque Urbano da Costa da Caparica é o lugar que recebe, durante quatro dias, festivaleiros provenientes de todo o país.

Beatriz Santos, visitante assídua d’O Sol da Caparica há três anos, revela que para ela a ida ao festival já é uma rotina de verão. Para a festivaleira, o cartaz de dia 17 estava especialmente apelativo. Beatriz, ainda antes de o cartaz ter saído, já esperava a presença de Plutónio, que considera ser a “cara do festival”. No entanto, para si, a maior surpresa foi a presença da cantora brasileira Ludmilla.

Beatriz confessou que, tendo em conta o número de festivaleiros, o festival não estava bem organizado. Quando lá chegou, “a fila dava a volta ao recinto quase todo”, o que, consequentemente, não lhe permitiu assistir aos primeiros concertos. “Sardinhas enlatadas” é a expressão que usa para descrever o recinto durante os concertos de dia 17.

Para Beatriz, a quantidade excessiva de pessoas acaba por causar conflitos desnecessários, que interferem no bom ambiente que a visitante associa ao festival. No entanto, não poupa elogios a O Sol da Caparica, onde até já jantou com Gabriel O Pensador.

Artigo escrito por: Ana Francisca Jones
Fotografia de capa: musicfest.pt (fotografia de 2016)

Gostaste deste artigo? Partilha-o!

Scroll to Top