Instagram: Vou dar o salto!

Cada vez mais os jovens usam o Instagram como “montra” para o mercado de trabalho. São várias as marcas que estão atentas às personalidades mais populares da rede social.

O Instagram foi criado em 2010. Hoje em dia pode ser uma ponte para talentos

 

A rede social Instagram, nos dias que correm, é o parceiro ideal para quem quer ganhar dinheiro. Em Portugal, são várias as figuras públicas que usam a plataforma não só pelo lazer, mas também de forma estratégica, para aumentar a notoriedade. A rede social é, cada vez mais, um “trampolim” para o reconhecimento. A grande maioria dos jovens em Portugal usa o Instagram e tem a noção de que ter muitos seguidores, muitos “gostos” e muitas visualizações aumenta a fama. Um estudo realizado pela Marktest Consulting, uma empresa que estuda o mercado nacional, garante que o Instagram foi a rede social que mais cresceu no último ano. O estudo “Os Portugueses e as Redes Sociais” mostra que mais de metade (50.3%) dos utilizadores de redes sociais dizem ter perfil/conta no Instagram. Os valores apenas são superados pelos que dizem ter conta no Facebook (95.5% dos utilizadores de redes sociais).

Não é por acaso que muitos jovens atletas partilham as suas rotinas e a sua alimentação de modo a vender uma imagem: Jeff Seid, fisiculturista norte-americano, tem uma legião com mais de 3,5 milhões de seguidores – com apenas 21 anos. O jovem partilha aquilo que come, aquilo que bebe, a suplementação que toma, os fatos de treino que usa, entre outras coisas. Já há um nome, na gíria americana, para o setor no qual este tipo de figuras trabalha: lifestyle. No caso português, o espaço mediático é dominado por Francisco Macau. O fisiculturista, nutricionista e personal trainer exibe uma quantia substancial de seguidores: 108 mil contas seguem Francisco. Também alia as suas fotos e vídeos de treino à exposição da sua alimentação e suas rotinas diárias.

As rotinas fazem parte da exposição na rede social

O Instagram, que pertence ao Facebook, é o terreno perfeito para explorar o mercado publicitário. Para além de contar com uma enorme adesão, o formato possibilita não só a publicação de fotos e vídeos, como também pequenos vídeos ou fotos de duração limitada. Essas pequenas publicações fazem com que muitas sejam partilhadas ao longo do dia – desaparecendo ao fim de 24 horas, se não forem fixadas no “Destaques”. “Destaques” é uma nova funcionalidade do Instagram, podem ser destacados os Insta Stories que o utilizador quiser – que ficarão visíveis aos “amigos” do utilizador e/ou ao mundo, dependendo da política de privacidade (se a conta é privada ou pública).

Empresas atentas

Muitas empresas já perceberam que o Instagram é um caminho viável para encarrilar a publicidade e o marketing. A empresa de suplementação Prozis aposta muito no Instagram. Essa aposta é traduzida em várias publicações nas Insta Stories, no número largo de seguidores (mais de 87 mil), no formato “Destaques” (Novidades, Alimentação, Vestuário, Artigos, etc…), e através da fotos – nestas últimas podemos, através da conta da empresa (prozisportugal), comprovar a quantidade de pessoas que patrocina a alimentação, os “BCAAs”, os “Gainers” e as roupas de treino.

 

A indústria da suplementação não é a única atenta a esta forma de publicidade. Várias empresas de Castings observam diariamente os perfis de jovens, a seu ver, com talento: com o intuito de lhes agendar uma entrevista.

A agência Rostus tem como prática habitual, segundo fonte anónima, mediar o contacto dos jovens com as marcas. Muitos deles são encaminhados para projetos de anúncios ou para sessões fotográficas onde se vestem com o logótipo de uma determinada marca. Na parte final deste processo a foto ou o vídeo é publicado no Instagram. Se os jovens já tiverem muitos seguidores, a publicação pode ser feita na conta pessoal dos mesmos, para aumentarem o alcance mediático.

“Temos de ser sociais”

De momento, a Bárbara Bação (blogger no site “Living in B’s Shoes”) está totalmente focada em ensinar como se ganha influencia através das plataformas digitais, em conjunto com a Maria Gonçalves. Todavia, a blogger profissional que conta com quase 12 mil seguidores no Instagram confessa que já ganha algum dinheiro com publicidade: “De momento, estou 100% dedicada ao Criar Um Blog, uma academia de formação para influenciadores digitais, em conjunto com a Maria Gonçalves (autora do blog Oh Maria!). “Já ganho algum dinheiro com publicidade. Sobretudo com artigos patrocinados”, diz.

Contudo, a publicidade, no caso da ex. editora e produtora de conteúdos da Microsoft Portugal, não chega para garantir a subsistência: “ (…) Longe disso. A verdade é que, como não estou 100% dedicada ao Living in B’s Shoes, e não o tendo como prioridade neste momento, também não o consigo rentabilizar como gostaria”.

A blogger de 28 anos diz que não há “segredos” para aumentar o número de seguidores, mas sim “truques” e “muito trabalho”: “Não nos podemos esquecer de que o Instagram é uma rede social e, por isso, temos de ser sociais. Não podemos publicar fotografias e esperar que os likes e comentários caiam do céu. Temos de nos dar a conhecer porque há milhares de bons perfis. É isso que ensinamos no nosso workshop (Como Crescer no Instagram e no eBook)”.

Para o futuro, Bárbara acredita que a publicidade no Instagram cresça: “Acredito que sim. As marcas estão a começar a pagar cada vez mais para aparecer em fotografias e Insta Stories”.

Ir “ao encontro dos consumidores”

Se juntarmos tenra idade, muitos seguidores e publicidade, é provável que cheguemos ao nome Catarina Teixeira. A jovem de 22 anos conta, atualmente, com mais de 18 mil seguidores no Instagram.

Após ter tirado o curso de teatro – que diz ter “muita procura e pouca oferta” – decidiu estudar Marketing e Publicidade na Universidade Europeia. A Catarina afirma que ganha dinheiro com publicidade, mas que não é suficiente para viver.

Catarina Teixeira pretende usar o Instagram para trabalhar em Publicidade

Será o Instagram o cenário perfeito para os jovens exporem os seus talentos? A jovem defende que é o lugar ideal, que é importante cativar as pessoas, e que ter seguidores é sinónimo de ter algo: “hoje em dia não se procuram atores, mas sim pessoas que chamem a atenção dos consumidores. Se um perfil tem bastantes seguidores, é sinal de que a pessoa tem algo que cativa e é alguém que as pessoas querem ver”.

Catarina Teixeira gostaria de, no futuro, trabalhar em publicidade e de conseguir ganhar estabilidade nas duas áreas (teatro e publicidade). Reconhece que o Instagram a ajudou a “ganhar projeção” e a “conseguir trabalhar na área da publicidade”. A “instagramer” já trabalhou com várias marcas de renome, como a Garnier, Compal e Loreal.

Apesar de todos os benefícios já mencionados da rede social Instagram, como forma de potenciar jovens e marcas, há uma série de problemas que a plataforma trás consigo. A revista norte-americana Time publicou um estudo realizado pela RSPH (Royal Society For Public Health) em maio de 2017, que diz que o Instagram é a rede social que mais afeta a saúde mental dos jovens. O estudo “Status of Mind” (Estados de Espírito) examinou os efeitos positivos e negativos que a rede social tem na saúde dos jovens. O estudo indica que os jovens que passam mais de duas horas em redes como o Instagram tendem a sentir muito mais angústia psicológica.

Os impactos que o “insta” tem na vida dos jovens que querem “dar o salto” ainda estão por desvendar. Apesar de existir há oito anos, a rede social só começou a ser um meio de eleição há pouco tempo. A plataforma é um mundo novo, onde os vídeos, as fotos, a vida e os talentos são expostos aos olhos de quase todos. O cartaz publicitário do presente e do futuro chama-se Instagram.

 

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *